Por meio da pesquisa, o Museu do Futebol busca constituir um mapa de referências que envolvem o universo do futebol, seja em suas manifestações materiais (como as coleções de objetos, arquivos e demais documentos), seja de natureza intangível (como as práticas, eventos, vocabulários e demais celebrações).

É no CRFB que se concentram as ações de pesquisa voltadas à formação do acervo do Museu. Atualmente, trabalhamos com duas linhas de pesquisa: “Memória Viva”, dedicada à coleta de depoimentos orais, e “Na Rede”, que se volta ao mapeamento dos locais de memória e de prática do futebol.

Na primeira, “Memória Viva”, foi realizado um projeto em parceria com a Fundação Getúlio Vargas para a entrevista de 55 jogadores que atuaram nas seleções brasileiras de 1954 a 1982. Este projeto teve apoio FAPESP.

Também está um curso um projeto em parceria com o núcleo de estudos LUDENS, da Universidade de São Paulo, para a entrevista de jogadores de futebol que já atuaram no exterior.

Já em “Na Rede”, durante o projeto de implantação do CRFB, foi iniciada uma pesquisa de campo para o mapeamento do futebol amador em São Paulo. Com a parceria do Núcleo de Antropologia Urbana da Universidade de São Paulo, foram mapeados 155 locais de prática de futebol de várzea, além de colecionadores, torcidas organizadas e lugares de celebração, como bares temáticos.

Em 2010, foi realizado o I Simpósio de Estudos sobre o Futebol, entre os dias 10 e 14 de maio, em parceria com o Departamento de História da Universidade de São Paulo e o Departamento de Antropologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Está previsto para o ano de 2014 o II Simpósio, agora com a participação de pesquisadores estrangeiros.

Parceiros
Nossos projetos de pesquisa contam com importantes parceiros: o Centro de Pesquisa e Documentação em História Contemporânea do Brasil – CPDOC - da Fundação Getúlio Vargas; o Núcleo de Antropologia Urbana da USP e o Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre Futebol e modalidades Lúdicas - LUDENS da USP.